Milton Mendes: 'Minha felicidade é enorme de representar essa nação'

Segunda-feira, 20/03/2017 - 13:39
comentários

A trajetória de Milton Mendes no comando do Vasco começou nesta segunda-feira. Como previsto por Eurico Miranda após empate em 0 a 0 com o Botafogo, o novo treinador foi apresentado em São Januário. Em coletiva ao lado do presidente, fez questão de agradecer a oportunidade, a qual tratou como o maior desafio de sua carreira, projetou o início de trabalho e elogiou a qualidade do elenco.

- Sobre o elenco, tenho certeza de que é bom. O treinador, quando entra, tem que colocar os jogadores nos devidos lugares e tirar deles o máximo possível. Estou contente com o plantel. Vou me juntar a eles e aos torcedores para buscarmos voos diferentes - disse Milton Mendes.

O discurso fez coro ao de Eurico Miranda. Sentado ao lado do novo treinador, o presidente repetiu o discurso de que o Vasco vai se classificar para a Libertadores 2018.

- Não havia hipótese de chegar o treinador e dizer que quer esse ou outro jogador. Eu já disse diversas vezes que o Vasco não está fechado a reforços, dependendo da necessidade ou ocasião. Nosso elenco, na minha opinião, vai para Libertadores. Com certeza. Não tenho dúvida - disse o dirigente.

Antes das perguntas ao treinador, Eurico tomou a palavra e elogiou Milton Mendes, lembrando da passagem como jogador do Vasco. O presidente ainda fez questão de destacar que a escolha foi pessoal e não houve sondagem a nenhum outro nome.

Veja os principais trechos:

MILTON

Time

- Estou chegando e conheço relativamente a equipe. Nós que estamos no futebol procuramos sempre entender o futebol e assistimos. A equipe tem um potencial enorme e vamos procurar fazer com que essa equipe renda um pouco mais. Existe sim jogadores mais novos e mais velhos, melhor, menos novos. Isso dá um tempero especial para a equipe. Agora vamos iniciar os trabalhos. Para envergar a camisa do Vasco tem que estar comprometido.

Maior desafio

- Eu não acredito em nada que se possa fazer sem trabalho. O trabalho é o que faz com que nós nos imponhamos em qualquer lugar da vida. A cobrança é normal no futebol e, principalmente no Vasco. A vida é feita de desafios e esse desafio, quando me foi feito pelo presidente, foi muito bom. Penso que nós só vamos conseguir com o trabalho. Eu não acredito que nada na vida se consiga sem trabalho.

Primeira linha de ação

- Eu tenho minhas estratégias e minhas linhas, mas não vou dizer aqui. Mas os primeiros a saber disso serão os jogadores. Esse espaço será sempre feito defendendo o Vasco e seus jogadores. Tenho minhas ideias e estratégias, mas os jogadores vão saber. Peço desculpas por não responder agora.

Estilo e influências

- Se eu fosse me avaliar e dar minhas características, diria que sou um treinador que gosto da disciplina. Tenho alguns pontos que orientam minha vida profissional e familiar. O comprometimento para mim é o mais importante. Os jogadores que entenderem que comprometimento e trabalho, vão render mais. Temos que trabalhar correndo e muito. Mais que o adversário. Eu defini linhas de conduta para minha vida. Claro que existem grupos e grupos. Tem grupos que você tem que agir de formas diferentes. Alguns você tem que agir de forma enérgica. Existem treinadores que eu me espelho, mas não quero ser injusto e falar de um e esquecer de outro. Eu peguei um pouco de cada um, fiz o meu tempero e tento crescer cada vez mais, mostrando os meus conhecimentos.

Campeonato à parte

- Antes do Flamengo nós temos um jogo no meio da semana, que é o mais importante por ser o próximo. As coisas serão adequadamente feitas. Nós vamos nos debruçar sempre sobre o próximo jogo e na hora certa falaremos sobre os próximos encontros.

Anotações

- Eu tento ter uma aproximação das pessoas, desde que elas saibam o seu limite. Penso que vamos estar muitas vezes juntos. Vamos nos encontrar diariamente e se tivermos uma relação humana boa, será mais fácil. Queria dizer que se vocês forem corretos e sérios, também receberão isso. Eu gosto muito disso. Podemos divergir de ideias e opiniões, mas sempre no âmbito de respeito. Vocês respeitam o lado de cá e a gente respeita o lado de vocês. Aproximação sempre, desde que com limites.

Tamanho do desafio

- É o maior desafio da minha carreira como treinador. Considero que será um dos grandes projetos da minha vida porque acredito muito nisso. Acredito nesse homem que está aqui. Acredito no Vasco. Acredito no plantel do clube. Eu acredito em tudo. Resta eu mostrar o meu trabalho para que eles acreditem mais do que foi a aposta em mim.

Estilo

- Eu gosto de usar um blazer e uma roupa mais adequada.

Impaciência da torcida

- Nós temos um jogo no meio da semana, mas precisamos do nosso torcedor. O nosso torcedor é um torcedor que apoia e entende o momento do clube. Agora é um momento de união. Precisamos resgatar aquele momento de união. Esse foi o melhor momento do Vasco, quando todos estavam unidos. O torcedor é tão importante quanto nossos jogadores. É muito importante que nosso torcedor venha a campo. Às vezes temos momentos bons e momentos menos bons. Estamos prontos para todos os desafios.

EURICO MIRANDA

- É absolutamente normal ganhar do Flamengo. É só ver os números. Nos últimos dez jogos, eles não ganharam nove. Ganhar do Flamengo é normal. Perder para o Flamengo que é anormal.

MILTON

Estilo de trabalho

- Quando existe uma mudança no corpo técnico, há duas vertentes. Ou o treinador é demitido ou foi para outro lugar. Quando é demitido, algo estava dando errado. O profissional que chega tem suas diretrizes. Logicamente o meu processo vai ser sempre de tentar dar essa competitividade maior. Com isso eu quero dizer mais vontade. Não que eles não tinham antes, mas precisamos de um pouco mais. Precisamos de mais agressividade no bom sentido, pressionar a defesa, diminuir as linhas... e são coisas que eu gosto de trabalhar. Não é impor, mas mostrar que é muito melhor a equipe se posicionar porque vai correr menos. Essa é a linha que eu vou tentar implantar daqui para frente.

Necessita de trabalho a médio/longo prazo

- Isso é muito relativo. Nós todos queremos ganhar rapidamente. Sem dúvida nenhuma, a nuance tática é fundamental para que as equipes precisam estar mais próximas. É muito importante todos trabalharmos nesse sentido. Existem direitos e deveres com e sem a bola. Se os jogadores entenderem isso, fica mais fácil

O que atribui a saída de Atlético-PR e Santa Cruz

- Eu não tenho resposta. Foram três ou quatro derrotas no atlético e no Santa Cruz foi parecido. No Santa Cruz houve uma nuance que também afetou, como atraso de salários.

Relação de cobrança e desgaste na relação

- Ganhamos a Copa do Nordeste e o Pernambucano. Nós todos temos que pensar no comprometimento. O comprometimento passa por isso, pelos jogadores entenderem seus direitos e deveres. Eu me considero um treinador próximo dos jogadores, porém sei exatamente o que é feito. Os jogadores podem brincar no trabalho, mas não brincar com o trabalho. Não acredito que exista essa situação de desgaste, mas sim que eles não façam o que combinamos. Eu não sou treinador de olhar alguma coisa errada e fechar os olhos. É muito importante a linha de entendimento.

Estrutura do Vasco

- Eu gostei muito. Temos uma coisas espetacular que é o Caprres. Temos uma coisa que vai nos ajudar muito, que é a readequação dos jogadores. Estou muito feliz com o que eu vi até agora. Espero contar muito mais com o Caprres porque isso é uma mais-valia.

Possibilidade de reforços

EURICO

- Já falei. Primeiro que não havia a menor hipótese de o treinador chegar para mim e dizer que queria este ou aquele jogador. O Vasco não está fechado a este ou aquele reforço, dependendo, evidentemente, das condições e da necessidade. Apesar de eu entender e ele também já deixou isso claro, o elenco do Vasco vai para as cabeças, para a Libertadores, com certeza. Eu acho absolutamente válida sobre perguntas no sentido da parte técnica. Eu queria dizer, com todo o respeito, que eu aceito as críticas, mas não vou aceitar que órgão de comunicação mas se meter em política interna do clube, não vou admitir. Não vou admitir que um jornalista, ou dito jornalista, tomar partido para um lado ou para o outro politicamente dentro do clube. O relacionamento vai ficar muito difícil. Já vou avisando que vai ficar muito difícil que órgão de comunicação se meta na política do clube. Esse órgão terá sérios problemas aqui dentro do Vasco.

MILTON

- Em relação ao grupo de trabalho, tenho certeza que temos um grupo bom. Penso que o treinador, quando entra, tem que mostrar diretrizes aos jogadores dentro do campo. Estou contente com o plantel que tenho. Vamos lutar para buscar ventos diferentes, voos diferentes.

Pedido para a torcida e quanto tempo para ter a sua cara

- Não tenho bola de cristal. Mas o que eu posso pedir para o nosso torcedor é venha a campo nos apoiar. Quanto tempo podem esperar, acho que é uma coisa difícil. Se tivermos mais tempo para participar vai ser bom.





Fonte: GloboEsporte.com (texto), Site oficial do Vasco (vídeo), Facebook oficial do Vasco (vídeo)